Digite no mínimo 3 caracteres!
Justiça

Homem é condenado a 18 anos de prisão por matar a tiros o namorado da ex-companheira em Chapecó

O crime ocorreu no dia 10 de janeiro de 2015, no bairro Universitário

Por: Francieli de Moraes
13/06/2022 16h29 - Atualizado há 2 meses
Foto: Divulgação/MPSC
Foto: Divulgação/MPSC

O Tribunal do Júri da Comarca de Chapecó, em sessão realizada na última sexta-feira (10) no Salão Nobre da Unochapecó, condenou Cláudio Nor de Jesus Pavoski a 18 anos e quatro meses de prisão, em regime fechado, pelos crimes de homicídio qualificado por motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima, e por porte ilegal de arma de fogo. O réu, denunciado pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), matou a tiros o namorado da ex-companheira, Dionatan Pereira. 

De acordo com a denúncia, no dia 10 de janeiro de 2015, por volta das 7h30, o réu foi até a casa da ex-companheira, no bairro Universitário, em Chapecó, e atirou na janela do cômodo onde ela dormia com o namorado. Em seguida, ele invadiu a residência e foi até o quarto, momento em que disparou três vezes contra as vítimas e fugiu do local. 

✅ CLIQUE AQUI E RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS EM PRIMEIRA MÃO NO WHATSAPP

Dionatan Pereira não resistiu aos ferimentos causados pelos disparos e morreu. Já Jucileide sobreviveu graças ao atendimento médico prestado de forma efetiva. Apesar da grave lesão, o Tribunal do Júri entendeu pela absolvição do réu pelo crime de tentativa de homicídio cometido contra a ex-companheira. O Ministério Público irá recorrer da sentença. 

Os Promotores de Justiça Alessandro Argenta e Gabriel Cavalett, respectivamente da 11ª e da 1ª Promotoria de Justiça de Chapecó, atuaram pelo MPSC na sessão. 

Da sentença cabe recurso, mas foi negado ao réu o direito de recorrer em liberdade.

Comoção

Familiares de Dionatan acompanharam a sessão do Tribunal do Júri. A prima Dieci Silveira Alves Oliveira relatou que a vítima era uma pessoa tranquila e esforçada. "Ele trabalhava muito e tinha o sonho de ser bombeiro", disse.

Foto: Divulgação/MPSC

Quanto ao julgamento, reforçou o sentimento da família na espera por justiça. "É o que a gente espera há sete anos. Como ele [o réu] não ficou nenhum dia preso, é isso que a gente espera que seja feito", finalizou.

Informações MPSC

Veja também

Carro pega fogo em movimento, em Águas de Chapecó

Populares conseguiram conter as chamas até a chegada do Corpo de Bombeiros

URGENTE: Grave acidente deixa quatro pessoas feridas no Goio-Ên

Vítimas foram conduzidas para o Hospital Regional do Oeste (HRO), pelo Corpo de Bombeiros e Samu.

Quadrilha do Pix usava fotos de garota de 13 anos e atraía homens para falsos encontros

Caso aconteceu na cidade de Piratuba, na Zona Norte de São Paulo