Digite no mínimo 3 caracteres!
Polícia

Polícia Civil indicia jogador que agrediu árbitro por tentativa de homicídio qualificado

Atleta foi suspenso por dois anos das atividades pela Justiça Desportiva

Por: Felipe Bastos
24/11/2021 17h06 - Atualizado há um semana
Homicídio qualificado tem como previsão de pena de 12 a 30 anos de reclusão. Foto: Portal Grupo Oceano
Homicídio qualificado tem como previsão de pena de 12 a 30 anos de reclusão. Foto: Portal Grupo Oceano

A Polícia Civil indiciou o jogador William Ribeiro por tentativa de homicídio qualificado após a agressão ao árbitro Rodrigo Crivellaro no início de outubro, durante um jogo da segunda divisão do Campeonato Gaúcho. O Ministério Público agora tem prazo para oferecer a denúncia contra atleta, suspenso por dois anos das atividades pela Justiça Desportiva.

O delegado Felipe Cano, da Polícia Civil de Venâncio Aires, a 130 quilômetros de Porto Alegre, e responsável pelo caso, entendeu que houve motivos suficientes para classificar a agressão como "tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil".

O homicídio qualificado tem como previsão de pena de 12 a 30 anos de reclusão. A tentativa, conforme o Código Penal brasileiro, pode ser punida com diminuição de um a dois terços do tempo.

No entendimento do delegado, William assumiu o risco de matar ao agredir com um chute o árbitro Rodrigo Crivellaro, mesmo após ele já ter caído com o soco desferido inicialmente.

“O William agrediu com um soco e neste momento o Rodrigo cai já desfalecido. E ele continua dando um chute na cabeça. Esse foi o entendimento que me motivou a fazer o indiciamento. Caso o William tivesse a intenção de lesionar, no momento que dá o soco e o árbitro cai, já lesionou. Mas não. Ele segue com um chute na cabeça, de um atleta profissional, com uma força nas pernas acima do homem médio. Assume o risco de matar. Felizmente não matou, mas assumiu o risco”, disse o delegado ao Globo Esporte.

O advogado de William Ribeiro foi procurado, mas não respondeu aos contatos da reportagem.

O inquérito também solicitou que o árbitro Rodrigo Crivellaro faça um laudo complementar para verificar se ele ficará com alguma lesão permanente por conta da agressão. O primeiro já indicou lesão corporal de natureza grave, já que ele ficou afastado mais de 30 dias das suas atividades.

William Ribeiro foi condenado no Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul (TJD-RS) a ficar fora dos gramados por dois anos pela série de soco e chute no juiz no dia 4 de outubro, enquanto São Paulo-RS e Guarani-RS se enfrentavam pela segunda divisão do Campeonato Gaúcho.

Após a agressão, Crivellaro ficou desacordado e precisou ser levado às pressas em uma ambulância para o hospital, de onde recebeu alta no dia seguinte. William, que teve o contrato com o São Paulo-RS rescindido, foi preso em flagrante ainda no estádio e ganhou liberdade provisória.

O árbitro se recupera em casa, em Santa Maria, na região central do Rio Grande do Sul, e ficará pelo menos três meses afastado do futebol e terá de usar colar cervical durante o período. As informações são do Globo Esporte RS.

Veja também

Ônibus com trabalhadores de agroindústria pega fogo na SC-150 em Lacerdópolis

Veículo pegou fogo por volta das 12h45 desta quinta-feira (02)

VÍDEO: Homem é flagrado quebrando vidraça de igreja evangélica em Chapecó

Caso foi registrado por volta das 5h desta quinta-feira (02)