Digite no mínimo 3 caracteres!
Saúde Psicológica - por Mariane Morais

Depressão: o mal do século XXI

Entenda mais sobre diagnóstico, sintomas e tratamento

Por: Canal Ideal
29/10/2021 17h20 - Atualizado há 8 meses
Depressão: o mal do século XXI

O Brasil é o país com o maior índice de depressão na América Latina. 5,8% da população sofre com o transtorno, e 20 a 25% dos brasileiros passarão ou já passaram por isso em algum momento da vida. 

Vale lembrar que em níveis mais severos, a depressão é considerada o fator principal para o suicídio, principalmente entre jovens de 15 a 29 anos. Por essas e outras razões, ela é conhecida como o mal do século XXI pela OMS, e o cuidado com os sintomas é primordial para evitar problemas maiores no futuro.

Um dos maiores desafios relacionados à depressão é, sem dúvidas, compreendê-la. Isso porque ela é muitas vezes confundida com uma tristeza comum, passageira, e não pode ser assim. Sentir-se triste é algo que acontece com todo mundo, todos já passaram por uma fase de se sentir desanimado e ter vontade de apenas ficar deitado na cama, quando a disposição está baixa.


"Porém, quando esse sentimento de tristeza e desânimo ocorre de forma muito recorrente é importante ficar atento, pois pode ser um sintoma de depressão, um dos transtornos mentais mais comuns da atualidade."
 

Depressão ainda é uma doença tabu , pois é vista por boa parte da população como “frescura” ou “falta do que fazer”. O resultado disso são pessoas sofrendo anos em silêncio por medo de serem taxadas de tal forma, podendo, em casos muitos avançados, tirarem suas próprias vidas. 

A depressão é uma doença incapacitante que atinge por volta de 350 milhões de pessoas no mundo. Os quadros variam de intensidade e duração e podem ser classificados em três diferentes graus: leves, moderados e graves. Além disso, ela também pode atingir crianças. e adolescentes.

Diferença X  tristeza

A tristeza pode ocorrer em diversas situações como a perda de uma pessoa querida, o fim de um relacionamento, a perda de um emprego, conflitos familiares, insatisfação com conquistas pessoais , dentre outras razões. Esse sentimento é apropriado diante de um evento, e não dura mais que algumas horas ou dias.

Já a depressão é um constante sentimento que se manifesta durante a maior parte do dia, quase que diariamente por no mínimo de duas semanas. A tristeza não impede o indivíduo de continuar suas atividades cotidianas, a depressão, por sua vez, incapacita as atividades do dia a dia, trazendo consigo um grande sentimento de apatia.

Sintomas da depressão

Além do estado deprimido (sentir-se deprimido a maior parte do tempo, quase todos os dias) e da anedonia (interesse e prazer diminuídos para realizar a maioria das atividades) são sintomas da depressão:

  • Alteração de peso (perda ou ganho de peso não intencional);
  • Distúrbio de sono (insônia ou sonolência excessiva  praticamente diárias);
  • Problemas psicomotores (agitação ou apatia psicomotora, quase todos os dias);
  • Fadiga ou perda de energia constante;
  • Culpa excessiva (sentimento permanente de culpa e inutilidade);
  • Dificuldade de concentração (habilidade diminuída para pensar ou concentrar-se);
  • Ideias suicidas (pensamentos recorrentes de suicídio ou morte);
  • Baixa autoestima;
  • Alteração da libido.

Muitas vezes, no início, os sinais da enfermidade podem não ser reconhecidos. No entanto, nunca devem ser desconsideradas possíveis referências a ideias suicidas ou de autodestruição.

Diagnóstico de depressão

O diagnóstico da depressão é clínico e toma como base os sintomas descritos e a história de vida do paciente. Além de espírito deprimido e da perda de interesse e prazer para realizar a maioria das atividades durante pelo menos duas semanas, a pessoa deve apresentar também de quatro a cinco dos sintomas supracitados.

'Como o estado depressivo pode ser um sintoma secundário a várias doenças, sempre é importante estabelecer o diagnóstico diferencial.'

Tratamento da depressão 

Depressão é uma doença que exige acompanhamento médico sistemático. Quadros leves e moderados costumam responder bem ao tratamento psicoterápico. Nos outros mais graves e com reflexo negativo sobre a vida afetiva, familiar e profissional e em sociedade, a indicação é o uso de antidepressivos com o objetivo de tirar a pessoa da crise juntamente com acompanhamento psicológico.

Existem vários grupos desses medicamentos que não causam dependência. Apesar do tempo que levam para produzir efeito (por volta de duas a quatro semanas) e das desvantagens de alguns efeitos colaterais que podem ocorrer, a prescrição deve ser mantida, às vezes, por toda a vida, para evitar recaídas. Há casos de depressão que exigem a associação de outras classes de medicamentos – os ansiolíticos e os antipsicóticos, por exemplo – para obter o efeito necessário.

O que jamais se deve dizer a pessoas com depressão:

  1. Você está exagerando, não é tão mal assim.
  2. Todos temos problemas, você precisa reagir.
  3. Sei o que você está passando, já me senti assim, também.


Se você ainda tem dúvidas sobre a Depressão ou seu Diagnóstico, envie sua pergunta para nossa rede social. Instagram @psico.marianemorais @clinicasirius_oficial estaremos  a disposição para lhe auxiliar nesse processo.  
 

Veja também

Desequilíbrio emocional: por que devo me preocupar?

Algumas dicas de como identificar se estamos passando por isso

Relações Líquidas: um conceito para pensar a sociedade atual

A amizade e os relacionamentos amorosos são substituídos por conexões que, a qualquer momento, podem ser desfeitas

Luto: lidar com a perda

Ao contrário do que muitos podem pensar, o luto não está relacionado apenas à morte