Digite no mínimo 3 caracteres!
Saúde Psicológica - por Mariane Morais

Luto: lidar com a perda

Ao contrário do que muitos podem pensar, o luto não está relacionado apenas à morte

Por: Canal Ideal
26/11/2021 14h47 - Atualizado há 7 meses
Luto: lidar com a perda

O ser humano não está acostumado a perder, na verdade ele faz o que pode para evitar o sentimento da perda. Perder dói em qualquer situação. E é sobre esse sentimento que envolve o luto: perder alguém. 

Quando uma pessoa morre são muitas relações que são afetadas e cada uma delas lidará com essa perda de alguma forma. Elaborar uma morte não significa esquecer daquela pessoa, não significa também não sentir falta daquela pessoa. Talvez, elaborar signifique conseguir viver apesar da ausência daquela pessoa.

O luto é entendido por nós psicólogos como uma reação a uma impactante perda. E, ao contrário do que muitos podem pensar, o luto não está relacionado apenas à morte.

Perdas de oportunidades, experiências que não voltam mais, grandes mudanças, fins de relacionamentos, mudanças de emprego e outras situações de rompimentos podem levar ao luto. Muitos psicólogos também costumam classificar o luto em etapas, mas que podem variar de pessoa para pessoa: Negação/Raiva/Negociação/Depressão/Aceitação. 
 

Como lidar com o luto?

Mesmo sendo um momento de profunda tristeza, o luto pode, sim, ser saudável. É uma reação normal e, até certo ponto, pode e deve ser vivenciado para que a pessoa que sofreu a perda chegue enfim na fase de aceitação.

Como o luto costuma vir junto da reclusão, o diálogo é muito importante para superá-lo. Se você está passando por esta fase, experimente conversar sobre a perda. Escolha uma pessoa de sua confiança e conte o que sente, fale como a perda aconteceu.

Se o seu luto for relacionado a uma morte, não torne isto um tabu. Relembre as experiências vividas com a pessoa querida, momentos especiais e histórias marcantes. O diálogo faz com o que o assunto se torne mais natural e que passemos a encarar com mais força a situação.

No entanto, quando o luto se estende por um longo período de tempo e impede que a pessoa realize as tarefas de seu cotidiano, é sinal de que chegou a hora de procurar a ajuda de um psicólogo, pois o luto já se tornou patológico.

A psicoterapia ajuda muito na organização mental e na diminuição da sensação de caos interno.

Com o acompanhamento de um psicólogo também é possível concluir quais os fatores que estão agravando o luto e, com isso, aprender a lidar com a situação de uma maneira mais assertiva.

O processo de luto é totalmente individual, mesmo com outras pessoas envolvidas na mesma dor. Isso porque cada um tem a sua própria maneira de interpretar esse vazio e a dor, desde o momento de um choro até os dias que irão seguir.

A expressão do luto pode se dar por manifestações físicas, como o choro, e emocionais, como tristeza, raiva e ansiedade. Em paralelo também há quem se comporte de maneira silenciosa.

Ou seja, não há um estereótipo ou regra a ser seguida para exteriorizar um luto. Ele é o reflexo da sua capacidade emocional de lidar com momentos de fragilidade e de se comportar no seu dia a dia. Não há certo ou errado, obrigações ou motivo de vergonha.

Para aprender a lidar com isso, um processo de psicoterapia pode ser fundamental.

Se você ainda tem dúvidas ou está passando por um processo de perda e precisa de ajuda, envie sua pergunta para nossas redes sociais. 

Instagram: @psico.marianemorais e @clinicasirius_oficial  

WhatsApp: (49) 99973-3426 

Estaremos a disposição para lhe auxiliar nesse processo.

Veja também

Desequilíbrio emocional: por que devo me preocupar?

Algumas dicas de como identificar se estamos passando por isso

Relações Líquidas: um conceito para pensar a sociedade atual

A amizade e os relacionamentos amorosos são substituídos por conexões que, a qualquer momento, podem ser desfeitas

Nomofobia: Entenda sobre a síndrome da dependência digital

A condição apareceu na mais recente edição do Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders