Digite no mínimo 3 caracteres!
Saúde Psicológica - por Mariane Morais

‘Pop It’ - O brinquedo que virou febre!

Esses brinquedos sensoriais e educativos são a nova tendência e provavelmente já chamaram a sua atenção ou a do seu pequeno

Por: Francieli de Moraes
12/10/2021 17h17 - Atualizado há 2 semanas
‘Pop It’ - O brinquedo que virou febre!

Provavelmente você já ouviu falar nos famosos Fidget Toys. Esses brinquedos sensoriais e educativos são a nova tendência e que provavelmente já chamaram a sua atenção ou a do seu pequeno. Eles são conhecidos por serem brinquedos menores e que cabem nas mãos. Mas, por mais inofensivos que pareçam, eles podem promover diversos benefícios para as crianças e adultos, sendo considerados ferramentas poderosas. Quer saber mais sobre eles? Então não deixe de acompanhar esta matéria!

O que são fidget toys “Pop It”?

Os fidget toys, cuja tradução seria brinquedos para inquietação, como falamos, são pequenos para caberem nas mãos das crianças. Eles nada mais são do que um conjunto de brinquedos sensoriais que têm como principal objetivo estimular o bem-estar por meio do toque e sons.

Eles prometem ajudar a aliviar a ansiedade e o estresse, além de aumentar a destreza, melhorar a coordenação, habilidades motoras finas e ainda auxiliar no desenvolvimento dos músculos das mãos. Eles podem ser usados em todas as idades, sendo considerados ferramentas sensoriais incríveis que ajudam no foco e concentração, pois permitem que o cérebro processe informações extras.

É  um brinquedo produzido em silicone, ou seja, é extremamente macio, além de ter bolhas que fazem um som de estouro, que é chamado de POP IT, a cada vez que você as pressiona. Quando um lado estiver acabado, basta virá-lo para começar novamente. Ou seja, é um plástico bolha infinito! Além disso, vale lembrar que o brinquedo é lavável e totalmente reutilizável, sendo muito versátil no dia a dia.

Fidget toys para crianças e adultos

É claro que os adultos também podem se beneficiar do famoso “pop it” afinal, em resposta a situações  de alto stress ou de ansiedade, é normal fazermos pequenas ações repetitivas  e isso justamente por ser um comportamento involuntário, varias vezes não nos damos conta do que estamos fazendo e a maioria das pessoas já brincou de fidget toys mesmo sem saber podemos comparar esses brinquedos com o ato de ficar apertando a caneta retrátil para ver a ponta sair, balançando as pernas etc. 

No entanto, fique atento quando muito frequentes, essas ações são potencialmente prejudiciais. Por exemplo, morder canetas pode afetar a saúde dos dentes ou articulações da mandíbula, enquanto roer unhas pode causar ferimentos, infecções e até mesmo deformação.Como essas ações são automáticas, tentar se policiar para não as executar pode não resolver.

Cada pessoa percebe as sensações e os estímulos do ambiente de uma forma diferente. Por isso, a ação de usar um fidget toy ou um objeto de forma mais repetitiva é uma maneira de regular o nível de estimulação recebido. Esses brinquedos são utilizados há muitos anos nas terapias  com diagnósticos de transtornos do neurodesenvolvimento.

Por exemplo, as crianças que têm transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) geralmente ficam bem com mais movimento. Elas têm dificuldade de ficar paradas e precisam do movimento para ajustar o nível de estimulação. Então, os fidget toys servem para a criança poder descarregar essa energia, ficar mexendo naquele brinquedo gera para ela um certo conforto.

 O brinquedo tem efeito de amenizar somente a ansiedade e o stress natural das crianças e adultos, que não precisam de tratamento e nenhum tipo de acompanhamento médico. Se a criança tem um estado de ansiedade patológica, que traz sofrimento e prejuízos para suas atividades e sua socialização, aí ela precisa de uma avaliação especializada. 

Por que o uso consciente do brinquedo é importante?

Com a promessa de reduzir os níveis de ansiedade e ajudar na concentração, o novo brinquedo se tornou o desejo de muitas crianças e até adultos. Apesar dos benefícios, especialistas recomendam atenção para uso excessivo, que pode mascarar sinais de alerta sobre a saúde mental das crianças.

O estresse e a ansiedade precisam ser avaliados e é necessário o auxílio de profissionais para controle de qualquer patologia diagnosticada. No caso do Pop It, ele funciona apenas como uma ferramenta de alívio, não podendo ser considerado como a solução para qualquer possível problema de saúde mental.

Ao contrário das promessas dos anúncios, pode-se dizer  que as crianças não estão utilizando o Pop It para aliviar a ansiedade, mas apenas para colecionar e brincar, além de, muitas vezes, demonstrarem interesse pelo item em uma atitude desprovida de um interesse real.

A moda, nas suas diversas apresentações, na maioria das vezes, representa cultura, passagem do tempo e representações sociais. Há modas que são vazias; há outras que denunciam, sem querer, adoecimentos sociais. O principal adoecimento denunciado na febre de compra de Pop It não é exatamente o aumento da ansiedade infantil, que se sabe realmente estar maior, mas denuncia, principalmente, vazios, ausência de sentidos e falta de diálogos.

E ainda assim, pela grande capacidade de se reinventar, de ser criativa e de inovar nas brincadeiras, as crianças conseguem ver infinitas possibilidades em um só objeto. 

O Pop It pode ser também utilizado para outros critérios que não sejam só o de ouvir o som que as bolinhas fazem. O brinquedo também pode ser usado para brincadeiras de competição de quem aperta mais delas em um menor intervalo de tempo, além de outros tipos de brincadeiras ou até para realizar trocas entre amigos e a novidade do dia das crianças, fazer o pop it de chocolate. 

Atenção aos excessos

A falta de interação social e a necessidade de permanecer muitas horas dentro de casa pode ser muito cansativo. “Além disso, o excesso de tempo em frente às telas também pode ser desgastante e até prejudicial para os pequenos, e esses brinquedos ajudam a desestressar”

A pandemia é uma situação em que a questão da vida e da morte está muito presente o tempo todo, levando a níveis de ansiedade altíssimos. Quando crianças  e adultos se encontram em situações angustiantes, elas podem manifestar seu desconforto por comportamentos involuntários. Alguns roem as unhas, outros cutucam a pele ou mordem a ponta do lápis, por exemplo.

A ideia dos brinquedos é justamente a mesma dessas “manias”: apresentar um mecanismo para distrair o cérebro e mudar o foco do aborrecimento. E atenção ainda  não há estudos científicos sobre esse material específico, porém, os “fidget toys” são considerados brinquedos “anti-estresse” porque, apostando na repetição, podem ajudar a acalmar e a estimular o bem-estar, gerando um alívio temporário.

Tudo depende do propósito e tipo de uso. Se os pais entregam o brinquedo para que a criança “não os perturbe”, para não terem que brincar com ela, ou para que ela “fique quieta” podemos estar perdendo a possibilidade que o brinquedo oferece. Portanto, sempre que possível, reflitamqual o mal que pode causar?  será que estou usando em excesso? 

Quando uma criança começa a apresentar mudança de comportamentos, irritabilidade, falta de apetite ou compulsão alimentar, insônia, prefere ficar sozinha, briga com os amigos da escola e tem medo, tudo isso são evidências do isolamento social. Precisamos entender que uma criança quando passa a ser privada, é a mesma coisa que impedi-la de aprender e crescer. Com a pandemia, vieram consequências de como a ansiedade e o stress.

Os brinquedos lúdicos as crianças podem se distrair, mudando o direcionamento do aborrecimento, o que pode auxiliar no controle dos danos. Assim como utilizamos a massinha de modelar, o dado mágico, os spinners e o ioiô, o fidget toy também pode ajudar a crianças e a adultos a desestressar, o que possibilitará em outros benefícios, como coordenação motora, aprender cores, a contar, além de ocupar a mente. É uma atividade lúdica, uma maneira terapêutica que complementa com a terapia.

O brinquedo e a utilização excessiva, especialmente entre crianças e adolescentes, pode acabar “mascarando” os sintomas reais de ansiedade e crises de pânico, então fique alerta. Todo comportamento é motivado por uma questão emocional que deve ser avaliada.

Se não soubermos de onde vem esta ansiedade e não entender o que está acontecendo, aquele momento com o brinquedo não vai surtir efeito e pode causar um efeito contrário, ou seja  pode trazer as consequências. 

Não permita que esses sentimentos sejam “mascarados”, procure entender o seu  comportamento ou do seu  filho, eles são sinais, são “pistas” para que você use de forma correta o brinquedo ou até mesmo procure um especialista para pedir ajuda. 

Quando o brinquedo for usado pela criança ou adulto para se acalmar ou se regular com muita frequência, pode ser um sinal de que algo não está bem, ela pode estar apresentando algum transtorno de ansiedade ou desregulação sensorial. Portanto, é essencial que seja realizada a avaliação por um profissional. 

Se você ainda tem dúvidas, envie sua pergunta para nossa rede social. Instagram @psico.marianemorais @clinicasirius_oficial  estaremos à disposição para lhe auxiliar nesse processo. 

Veja também

Saúde Psicológica: Por que estamos tão ansiosos?

É comum ouvirmos que somos uma geração de ansiosos, mas isso é verdade? Quais fatores estão envolvidos nos transtornos de ansiedade?

Saúde Psicológica: você sabe como funciona o atendimento de um psicólogo?

A psicóloga Mariane Morais te explica um pouco melhor sobre esse assunto aqui na coluna